Nacionalmente Bom

Autores Portugueses

Estrelas Em Contos

Opiniões de Contos

eBooks

Leitura Digital

Crónicas de Uma Desastrada

Sou uma Desgraça de Metro e Meio

Autores do Brasil

Divulgação e Opinião

sábado, outubro 31, 2015

Conto de Halloween - Gato Maldito [WATTPAD]

Boa Noite Estrelinhas!

Esta semana que passou fui convidada por alguns escritores Brasileiros a participar no Halloween - Contos 2015.

Eu adorei a experiência, obviamente estou muito longe de me considerar uma Escritora 5 estrelas, até porque há escritores neste conto maravilhosos, e com obras publicadas por editoras brasileiras ou na Amazon. Eu apenas me contento em escrever algo e deixar na gaveta.
Se bem que me arrisquei no Wattpad com o titulo Ilusão, não ganho nada, mas certamente também não perco nada.
 A capa da minha pequena história, ainda no inicio foi feita por uma escritora Brasileira, ela é maravilhosa e eu adoro as obras dela. [das que já li, e um dia irei publicar aqui os trabalhos dela].

Deixo-vos aqui o print dos vários títulos deste conto 2015


Como podem ver pelo nome do perfil no Wattpad, este é DalmatasGJA, um perfil criado especialmente para publicar este conto dos vários escritores que nele participam. É por essa razão que não está no meu perfil, seria estranho todos os escritores envolvidos publicassem o mesmo conto inúmeras vezes. 

Eu ainda não li todos, aliás vou para o 3º Conto - A Kitsune e a maldição do Nogitsune

Esta noite promete heeh

O meu conto é o 11º da lista intitulado como Gato Maldito. Aviso que falta uma revisão bem grande, pois foi feito em cima da perna, o tempo era curto e a revisão ficou para a republica das bananas, assim que tiver um tempinho será corrigido. 

Para quem não lê no Wattpad, deixo aqui o meu conto, mas convido-vos a irem ler os restantes.





Gato Maldito


                 Eu odeio simplesmente a nossa nova casa.
                Não se pode dizer que seja uma casa pequena, muito pelo contrário, oh e perdoem-me mas chamar “Casa” a uma Mansão, parece-me um crime, porque ela é enorme. Tem pelo menos 5 quartos, todos eles com casa de banho privada. Sala de jantar, sala de estar uma cozinha que ocupa mais de metade da área térrea.
                As janelas altas com portadas negras, rangem ao sabor do vento. O Alpendre dianteiro, também ele de madeira negra torna a mansão um pouco assustadora. Mas não é apenas isso… as árvores altas de ramos despidos fazem lembrar monstros do pântano, a noite, com braços finos e unhas compridas. Imaginação fértil diria um de vocês, eu apenas digo que é a realidade. Pois nada é o que parece, a cada sombra esconde-se algo assustador e sombrio, e ver as sombras das árvores a moverem-se pela janela do meu quarto assusta-me de morte.
                Estou deitada na minha cama, a manta tapa-me até aos olhos, e estou toda enroladinha nela, nada pode entrar ou sair! Sim sou dessas que acredita nos monstros de baixo da cama, dessas que não deixa a mão de fora ou a perna, com medo de ser apanhada e arrastada para os confins do inferno…debaixo da cama, para ser mais precisa.
Sou arrastada da minha divagação, quando os sons de passos e degraus a ranger se tornam cada vez mais audíveis! Os meus dentes batem uns nos outros, Josh encontra-se deitado por cima da cama, para mim? Ele é muito corajoso, ou sem qualquer sentido de prudência, eu tentei vezes sem fim coloca-lo debaixo das mantas comigo, mas o Josh não é um gato que faça aquilo que a gente quer. Ele faz aquilo que Ele quer, e se ele quer dormir em cima da manta, é la que dorme, e enquanto ele estiver quietinho eu fico um pouco, quase nada, tranquila. Mas isso não dura, Josh começa a eriçar-se todo e a bufar constantemente na direção da porta, eu não sei o que está lá, pois estou de costas… chamem-me medricas se quiserem, mas não consigo virar-me, Josh salta da cama e eu choramingo enquanto bem baixinho chamo pelo meu chaneco.
                Tão rápido como tudo o que começou, os sons estranhos, o frio horrível que se sentiu no quarto… tudo isso, desaparece.
                A medo, viro-me muito devagarinho para a porta do quarto, nada, a porta está meio aberta e eu jogo as mantas para trás com os pés e salto da cama, corro até a porta e tranco esta.   Congelo completamente quando me viro na direção da cama… sinto como se tivesse levado um ponta pé no peito, o ar abandona completamente os meus pulmões e ofego profundamente!
                Josh está sentado nas patinhas traseiras dele, o pelo todo eriçado, de boquinha aberta a mostrar todos os seus dentinhos… mas não é isso que me assusta… são os olhos… Vermelhos, como duas lâmpadas acesas. Ele levanta-se e caminha tranquilamente para mim, para a um milímetro das minhas pernas…começa a ronronar e a dar torrinhas nas minhas pernas, roça-se em mim e depois caminha até ficar a minha frente de novo, aqueles olhinhos assustadoramente vermelhos a fixarem-me…
                -Aprecia o Halloween humana…será o ultimo. – Não tenho tempo de processar que o meu gato falou, pois ele está-me atacar! Sinto o meu sangue correr pela minha pele, caio na minha própria poça de sangue e apenas vejo os olhos vermelhos do meu gato e atrás dele, mais olhinhos vermelhos… mais gatos!
                De forma atabalhoada e inda ferida, tento colocar-me em pé, apos varias tentativas sou bem sucedida, corro até à porta e abro esta. 

Numa correria desenfreado, percorro o corredor da casa, chego até a porta do quarto dos meus pais e abro esta, estanco no meu lugar…. A cama está feita e ninguém está no quarto. Oiço os miados meio rosnados do meu gato, olho para trás e ele está sentado a olhar para mim, choramingo e chamo pelo meus pais… mas só o silêncio da casa me saúda. Volto a correr em direção oposta de Josh desço as escadas, e para a minha sorte torço o tornozelo e caio os últimos 5 degraus com o rabo.
                - MÃE!!!  PAI!!!!  ALGUEM??!! – nada, apenas silencio e mais silencio, fecho os meus olhos e rezo, rezo para que tudo seja um pesadelo, rezo para que não esteja sozinha, eu não posso estar sozinha! Isto não faz sentido! Oiço ronronar e olho para o topo das escadas, uma vez mais Josh está sentado a olhar para mim, Meu Deus, aqueles olhos, assustadoramente vermelhos! Levanto-me e uma dor forte está presente no meu tornozelo, mas insisto, tenho de conseguir! Corro para a sala, biblioteca, cozinha tudo o que é possível e nada, ninguém a casa esta deserta. Um vento forte quase arranca as janelas do sitio. As portadas batem com força contra as paredes, as sombras dançam como pequenos demónios satisfeitos pelo meu medo. Ao longe, através da minha janela vejo uma luz da casa vizinha acesa, não perco tempo e corro para a porta, desesperadamente tento abrir esta, mas não consigo, parto as minhas unhas neste processo enquanto puxo o trinco e tento abrir, mas nada.
                - Estás a dar-me trabalho, eu não gosto de trabalho. – olho para trás, o que antes era um gatinho, agora parece uma pantera de um tamanho anormal, escanzelado e o pelo parece molhado. – Importas-te de ficar quietinha? Facilita-me o trabalho! Vais morrer de qualquer maneira, e poderias morrer sem estar cansada. – o sorriso, sim deve ser um sorriso, mostra todos os dentes que Josh tem, até os dentes detrás, fios de baba escorrem pelos dentes e pingam da ponta do focinho dele.
                - Tu não podes ser real – choramingo – Não podes, tu adoras quando te acaricio a cabeça, ou dou beijinhos no teu narizinho pequenino, o meu Josh nunca me faria mal.
                Ele parece engasgado e logo percebo que era uma gargalhada.
                - És tão idiota, e é por seres tão idiota que terei todo o prazer do mundo de te matar. – dito isto Josh começa a andar na minha direção, e o medo toma conta de mim,  pego numa pequena jarra que está sobre uma mesa de canto perto da porta, e atiro contra o gato monstruoso, acerto-lhe e um fio de sangue escorre da cabeça dele, Josh fica atordoado por momentos o que me dá algum tempo de avanço, corro para todas as janelas, grito e bato nelas quando não as consigo abrir. O pânico consome-me, aquele friozinho pelas costas envolve-me como um manto, só consigo sentir medo, só consigo chorar e por mais que tente escapar…. Não consigo, caio de barriga e bato com força no chão, sinto as garras cravadas nas minhas costas e outras nas minhas pernas, esperneio e remexo-me para conseguir que os gatos saiam de cima de mim, as dores são cada vez mais atrozes, sinto algo quente a escorrer pela minha pele.
                - Humm…a humaninha desistiu? Aceitaste por fim o teu destino? – ouvir a voz que sai do meu gato, é como cair em vaco, vazio, frio, distante. Levanto a cabeça e olho de novo para a janela da sala, um pouco mais ao lado está a lareira e eis que vejo a grelha de proteção, pesada e bastante dura. Mostro derrota e descanso a cabeça sobre os meus braços, choramingo como que aceitasse por fim o meu destino. O Josh sai de cima de mim e com uma pata bate-me de lado, o que faz com que me projete contra a parede oposta, deixando-me sem ar e desnorteada. Quando finalmente volto a ficar em mim vejo Josh sentado nas patas traseiras a olhar para as garras…
                - Vou matar-te…. Lenta…. Demoradamente…. Arranco-te a pele com as minhas garras…ou as entranhas primeiro? – ele faz uma pausa e olha para mim. – Estou indeciso, achas possíveis? – e torna-se a rir, uma gargalhada meio engasgada. Levanto-me de um salto e corro para a chaminé, pego na armação de ferro da lareira e atiro-a contra a janela da sala, esta estilhaça-se e corro para a rua a todo a velocidade! Mesmo com o meu corpo a protestar, mesmo com todas as dores que sinto no meu corpo, corro sem parar e quando finalmente olho estou a chegar a porta do meu vizinho, bato como se não houvesse amanha…o que provavelmente pode acontecer, eu posso não ter o dia de amanha. Continuo a bater forte e firme.
                - Por Favor!!, Abra!! – suplico enquanto bato na maldita porta, oiço bufar atrás de mim, um bufar meio rosnado e olho sobre o ombro o Josh caminha na minha direção, o vermelho dos olhos brilha como a luz das chamas – Alguém abra a maldita porta!!! Socorro!!!! POR FAVORRR ELE VAI MATAR-ME! – mas quanto mais grito, mais a minha voz falha, sinto pressão na minha garganta, como se uma mão invisível a apertasse, o ar já não entra nos meus pulmões. Torno a insistir em trazer oxigénio para dentro do meu peito e faço força para gritar de novo, mas nada a voz não sai, é como se tivesse ficado rouca.  Vertigem tomam conta do meu ser e começo a ver todo desfocado, uma luz suave mas distante entra no meu campo de visão, sinto pancadas no meu rosto e oiço um som…eu reconheço este som, mas… não, não pode ser. Prefiro abraçar a escuridão e deixar-me levar. O meu corpo flutuo no nada, e a minha mente fica completamente apagada.

***

                Acordo com uma dor de cabeça tremenda, sinto como se tivesse passado o TGV por cima do meu corpo, podia jurar que me doía coisas que seria impossível de doer, até o meu cabelo me dói, acreditem.
                - Catarina! Vem comer o Pequeno-almoço está pronto e já estás atrasada! – abro os olhos novamente ao ouvir a minha mãe a chamar-me, viro o rosto para o lado e vejo o despertador.
                - Raios!!! – salto da cama e corro para a casa de banho, tomo um duche rápido escovo os dentes por fim volto ao quarto e tiro umas calças de ganga e um top e um casaco fino. Quando termino corro até a porta do quarto mas paro de repente e olho para trás. Josh está deitado com as patinhas cruzadas e a cabeça deitada sobre as patas, de olhos fixos em mim, vou dar um passo para ele, acaricia-lo e dar um beijinho, mas paro enquanto o observo e ele levanta a cabeça com o olhar cravado em mim como adagas, como se sentisse o meu medo….dele. Pego na mochila e saio disparada do quarto onde corro até a cozinha, bebo a minha caneca de leite e uma fatia de bolo de chocolate, pego numa maça e saio a correr de casa. Mas rapidamente torno a parar, muito devagar viro-me para trás e olho para a janela do meu quarto no primeiro andar, Josh está sentado no parapeito da janela…os olhinhos tristes enquanto me observa. Arrepio-me da cabeça aos pés e viro me para frente. E grito… grito como se a minha vida dependesse disso, grito com toda a força que me é possível e os meus pulmões permitem, até que algo me atinge na cara….
                - Credo Catarina, tás maluca? - vejo a minha amiga com as mãos junto ao peito e os olhos muito abertos, depois de me ter dado uma valente chapada na cara.
                - Des..desculpa… assustaste-me. –confesso envergonhada, credo o que se passa comigo? Será possível que acordei hoje e tudo me assusta? Mais do que o normal? – recomeçamos andar em direção  a estrada, o meu velhinho Polo está esta estacionado na berma da estrada. Destranco o carro e entramos, sei que Rafaela está a falar, mas nem presto atenção a isso… algo hoje não está bem, e não é só o aperto no meu peito e as dores no corpo que me dizem isso.
                - Hello?? Terra chama Catarina, está alguém ai? – vejo os dedos gorduchos de Rafaela a frente dos meus olhos. – Não estás armada em Anta né? Porque por favor, isso não pode ser só porque esta noite é noite de Halloween…
                - Noite quê? – Guincho completamente e nem a deixo terminar a frase. Odeio a noite da bruxas, odeio as pessoas supersticiosas, odeio os fatinhos que vestem e de baterem porta a porta, odeio o facto de nesta noite em concreto ter de prender Josh em casa, tudo porque é um gato preto, tudo porque há gente retardada que usa gatos pretos em rituais absurdos!
                - ….. lembras-te? – volto dos meus pensamentos quando vejo a Rafaela a olha fixamente para mim, e tenho de admitir, só ouvi o final.
                - Rafaela, seja o que for que tenhas em mente a resposta é não. – dito isto abro a porta do carro e saio, já estamos de frente a escola e este é o meu ultimo ano aqui, depois será a universidade, se bem que ainda não me decidi e estou a pensar numa pausa.
                - Oh Cati, va lá, não faças isso, é uma festa por amor aos santos! Vem lá, por favorrrrrr – olho para a Rafa, ela faz um olhar idêntico ao gato das botas, mas não me convence, noutro assunto talvez, mas noite de Halloween? Nunca!
                - Não insistas por favor, sabes que nõ alinho nessas merdas. Odeio Halloween e tudo o que o envolve, então por favor respeita isso!
                - Mas….
                - Mas nada Rafa, que merda! – sei que estou a ser bruta, e não há qualquer razão para isso, mas fodasse, deem um desconto sim? Algo se está a passar comigo, estou nervosa, ansiosa e irritada além de assustada. Então se estou na defensiva, não me critiquem. E a Rafaela parece perceber isso, pois olha-me bastante seria e não diz mais nada. Chegamos finalmente as aulas e o dia corre normalmente, incluindo os piropos horríveis de Carlos, que merda, ele não vê que são completamente fora? Por vezes sinto-me um osso sabem, daqueles ossos suculentos e andantes…em que nós passamos e os cães olham e babam com a língua pendurada? Sim… isso mesmo! É horrível não é? Oiço mais um toque da campainha, mais uma aula que terminou, arrumo as minhas coisas e caminho até a porta onde espero por Rafaela.
                - Queres boleia? – inquiro quando esta chega ao pe de mim.
                - Não obrigada, vou com a malta até ao Scorpions e depois vamos para a festa… se mudares de ideias….
                - Fica descansada, não irei mudar de ideias, nem que chova picaretas em brasa e haja unicórnios a mugir.
                 - Arghhh que seja cota. Até manhã.
                - Diverte-te. – Rio-me para Rafa e vou até ao meu carro, o caminho todo sinto-me observada, e dou por mim a pensar em Josh, que raio se passa comigo? Suspiro frustrada ou desanimada, nem mesmo eu sei. Quando chego perto do meu bolinhas, destraco este e entro, coloco as minhas coisas no banco do passageiro e ligo o carro…mas… ele não liga, nem sinal. Volto a insistir nele e… nada..
                - Oh Va lá, minha linda, maravilhosa lata velha, não me deixes na mão… - torno a tentar meter o carro a trabalhar…. Nada. – Não vais fazer isso com a mamã certo? Va-la, já é tarde, or favor  pega… - insisto de novo…mas nada. – Fodasse, carro de merda, chaço do caralho, sardinha em lata ferrugenta e imprestável! – grito com o carro enquanto bato com as mãos no volante, saio do carro furiosa e bato com a porta com o máximo de força e ainda chuto a merda desta lata velha. Olho para o céu que está cada vez mais escuro.
                - Não há mais nada para acontecer? Começar a cho... – nem termino de falar, e começa a chover torrencialmente, como se os céus estivessem furiosos! – Mas que grande lata!! – resmungo para os céus, deixo a minha mochila no carro assim como livros e tudo mais e levo comigo só o telemóvel e a chave de casa e do carro. Nem me dou ao trabalho de vestir o blusão que está no banco detrás, já estou ensopada mesmo, gelada até aos ossos por isso.
                Inicio a minha caminhada até casa, será uma hora e meia no mínimo andar, passar por um pinhal enorme e escuro e depois por um cemitério. Vocês devem de se estar a perguntar porque não ligo a minha mãe? Simples… porque são Oito horas… olho de novo ao relógio.
                - Raios me partam, já é oito horas? – rosno e tento acelerar o passo, mas pouco depois sou obrigada a tentar-me proteger uma pequena casa abandonada na berma da estrada, ela já se encontra vandalizada, sem janelas ou portas mas está boa o suficiente para me proteger da chuva que está cada vez mais forte, e é de todo impossível conseguir andar e manter os olhos abertos, até porque as gotas de chuva parecem pedra a cair em cima da minha cabeça.
                Sento-me no chão enquanto espero que a chuva passe, mas nada, cada vez está pior e para ajudar, estou sem rede, provavelmente por culpa deste maldito tempo.
                - Que mais pode acontecer? Porque comigo? Porquê hoje? – abraço-me a mim mesma, estou cada vez mais e mais gelada, talvez se tivesse trazido o blusão estaria melhor. Teimosa de um raio!
                Acho que passei pelas brasas em algum momento, pois não me lembro da chuva abrandar e quando olho ao relógio já são 23:18. Levanto-me rapidamente e ponho-me a caminho, a caminhada está longe de terminar, por isso não posso perder tempo.
                Já estou andar um bom bocado e pouco falta para passar o cemitério, quando aquela sensação se faz presente, sinto-me observada e todos os meus pelos da nuca se arrepiam, abraço-me mais a mim mesma e tento acelerar ainda mais um passo, oiço um ruido e nem penso em olhar para trás, muito pelo contrario, o medo gela as minhas costas e eu desato a correr, corro como se não houvesse amanha, como se a minha vida dependesse disso e é ai…é ai que me lembro…
                - Josh… - sussurro e paro, rodo sobre mim mesma e vejo o que vem atrás de mim, uma sombra enorme persegue-me, não posso dizer se é homem ou mulher, se é animal ou o que seja, porque não percebo ao certo. Tomada pelo medo e pânico desato a correr, corro até me doer a barriga, as pernas e o meu peito arder . Um ardor horrível atinge-me nas costas e eu caio de joelhos no chão, tento-me levantar, mas sinto-me dormente.
                - Feliz Halloween humana… - aquela voz sussurrada, rouca e abafada causa-me calafrios e eu conheço ela, esta voz esteve presente no meu sonho, o sonho que eu não me recordava.
                - Josh…. – sussurro tão baixinho que mal me oiço a mim mesma, mas aquele ser ouve, aquele mostro dá uma gargalhada, que mais parece que se engasgou, então um vento gelado fustiga o meu rosto os meus cabelos rodopiam no ar e eu olho em frente, vejo o meu gato preto, Josh está a dez metros afastado de mim, mas…. Desvio os olhos dele para o que está em pé atras de mim.
                - Ora ora, podes ter salvo ela no sonho meu amigo, mas aqui ela é minha… - a sombra nojenta diz enquanto mostra um género de sorriso vitorioso. Eu encolho-me e choramingo e torno a olhar para Josh, vejo ele crescer diante dos meus olhos, passar de um simples gato preto a uma pantera negra de olhos vermelhos e dentes assustadoramente afiados.
                - Enganas-te, a humana é minha desde sempre e tu sabes que não deves mexer no que é meu.  – aquela voz, olho para ele, e vejo Josh olhar para mim e depois num impulso estupido coloco-me em pé e torno  a correr com tudo o que ainda está vivo dentro de mim, Josh começa a correr na minha direção, e salta por cima de mim, na mesma altura que eu me baixo assustada, tento para mas os meus pés escorregam no chão e caio de traseiro. Olho para trás e vejo Josh a lutar com aquela coisa, é uma luta renhida, ambos estão em forma e não mostram ar de fraqueza.  Rosnados, arranhões e mordidas é o que está presente, e eu grito, grito quando vejo Josh ser atirado contra uma arvore, grito quando vejo o corpo felino curvar-se num angulo estranho e grito por medo. A Sombra vira-se para mim e começa andar na minha direção…
                - Todo este tempo eras tu… - sussurro – Sempre foste tu a meter-me medo, sempre foste tu a perseguir-me!
                - Huu a humana descobriu como se usa a massinha cinzenta, diz-me quer um Nobel agora?
                - Vai-te fuder, criatura nojenta! – sinto uma raiva de todo o tamanho a crescer em mim, fui enganada este tempo todo, sempre sonhava com ele, mas o pesadelo era destorcido, e o meu medo recaia sobre Josh, o meu gatinho que me escolheu, que todos os dias me esperava na porta da escola que ronronava quando lhe dava as minhas sandes…. O olhar triste que Josh me dava todas as manhas neste ultimo mês, feriu-me profundamente, ele sabia… apenas eu não me lembrava, apesar de sentir medo, não só pela velha mansão, de madeira que rangia a cada passo, as portas negras e alpendre, tudo neste ultimo mês, Josh sabia, e como sempre lhe dizia na brincadeira…. Tu não és um gato… estás apenas amaldoçoado… és um gato amaldiçoado.
                Grito com a dor no meu peito, e corro de encontro a sombra, a dor aumenta ainda mais no meu peito e as lagrimas correm pelo meu rosto. Quando me preparo para bater de encontro a Sombra…eu… transpasso-a. E Caio no chão ao lado de Josh, choro, e abraço o corpo da minha pantera negra, o corpinho ferido dele faz doer o meu coração.
                - Por favor… perdoa-me. Não me deixes – abraço-o ainda mais a mim o pelo suave e cheiroso de Josh invade os meus sentidos e fica molhados com as minhas lagrimas – Que vou fazer sem ti?
                - Oh por favor, deixa-me terminar com isto, esta cena está a dar-me gases! – olho para a Sombra, e volto a ser percorrida pela minha raiva. – Vai-te fuder, invejoso! – volto a olhar para baixo e vejo que Josh está a mexer-se, quando mais o abraço, mais ele se mexe e mais fraca me sinto, as tonturas voltam atacar-me e eu pergunto-me desta vez…. Sonho? Ou Realidade? A Sombra está estática a olhar para nós, como se estivesse preso, vejo isso, e quando torno a olhar para Josh, não é uns olhos felinos e vermelhos que me olham…são olhos humanos, pretos e lindos.
                O meu corpo entra em clapso e vejo-me a cair para o lado, Josh segura-me e deita-me de lado no chão, vejo-o andar descontraidamente em direção ao sombra, Josh sussurra algo, e quanto mais ele sussurra mais fraca fico e mais o Sombra grita, fecho os meus olhos, não quero ver, quero apenas acordar, preciso de acordar…estou a sonhar não estou?
                - Dorme querida, estás a salvo…por agora. – e deixo-me embalar pela voz suave e masculina de Josh… mas o meu gato preto não deveria falar….devia? Nem parecer um jovem lindo de cortar a respiração…. Ou devia?
Tento falar, mas uma vez mais nada sai nada, desisto e deixo-me levar pelas trevas, odeio o Halloween!



segunda-feira, outubro 26, 2015

Bicicleta à Chuva de Margarida Fonseca Santos [BOOKSMILE]
















Dia 31, Sábado às 18h na Fnac do Centro Comercial Vasco da Gama

De uma das autoras de referência do género infantojuvenil, Margarida Fonseca Santos, em Bicicleta à Chuva, traz-nos uma história sobre temas atuais como o bullying, a coragem e amizade.

Bicicleta à Chuva
de Margarida Fonseca Santos

Edição/reimpressão:2015
Páginas: 128
Editor: Booksmile
ISBN: 9789896683290
Coleção: A Escolha é Minha

Uma História sobre Bullying, Coragem e Amizade

Crescer é um desafio enorme. Mas às vezes é difícil decidir que caminho devemos seguir. A Escolha É Minha é uma coleção sobre as opções que tens de tomar todos os dias com histórias de vida contadas por jovens como tu. Esta história, Bicicleta à Chuva, podia bem ser a tua ou quem sabe a de alguém que conheces.
O Jaime carrega um enorme segredo: um grupo de rufias, os Alcaides, toma conta da sua vida de muitas maneiras, deixando--lhe o corpo e a mente com marcas difíceis de apagar.
O Valdomiro, o chefe dos Alcaides, luta para, de alguma forma, conseguir ser importante naquele bairro tão complicado.
Um dia, em frente à paragem do autocarro, o Jaime vê uma bicicleta antiga encostada ao muro de pedras, e desenha-a. Cai uma chuva miudinha, mas o dono da bicicleta, o Joaquim, não se incomoda com isso, e interessa-se por aquele desenhador.
Nasce assim uma amizade capaz de revolucionar a vida do Jaime e de muitos outros. Queres saber como? Então, vem daí!

Um livro tão comovente e emocionante que os mais novos não vão conseguir parar de ler!


PEREGRINO de Terry Hayes [TOPSELLER]

Peregrino
de Terry Hayes

Edição/reimpressão:2015
Páginas: 656
Editor: TopSeller
ISBN: 9789898491770


Sinopse
Uma corrida vertiginosa contra o tempo e um inimigo implacável.

Uma jovem mulher brutalmente assassinada num hotel barato de Manhattan.
Um pai decapitado em praça pública sob o sol escaldante da Arábia Saudita.
Os olhos de um homem roubados do seu corpo ainda vivo.
Restos humanos ardendo em fogo lento na montanha de uma cordilheira no Afeganistão.
Uma conspiração para levar a cabo um crime terrível contra a Humanidade.
E um único homem para descobrir o ponto preciso onde estas histórias se cruzam: Peregrino.




Peregrino, o romance de estreia de Terry Hayes, tornou-se de imediato num bestseller internacional, elogiado por críticos e autores bem conhecidos dos portugueses como David Baldacci. Vencedor do National Book Award, Peregrino irá ser adaptado ao cinema pelos estúdios MGM em 2016, com realização de Matthew Vaughn. Este será o primeiro filme de um franchising ao estilo James Bond. 


«O livro tem mais voltas e reviravoltas do que qualquer outro do género publicado em muito tempo. Vai ficar agradavelmente surpreendido ao encontrar um novo tipo de thriller, onde há tanto de cérebro como de músculos.» - New York Times

«Escrito a um ritmo alucinante, capaz de fazer parar o coração, este thriller aterra algures entre Homeland e Breaking Bad, para depois nos transportar para um nível completamente diferente. Em parte romance de espionagem, em parte thriller psicológico. Personagens emocionalmente complexas. Questões geopolíticas relevantes.» - Wall Street Journal

«Um thriller excecional, com um narrador totalmente credível, que tem tantas identidades secretas que dificilmente se lembrará do seu verdadeiro nome.» - Publishers Weekly


Nascido no Reino Unido, emigrou para a Austrália em criança e foi jornalista no maior jornal do país, The Sydney Morning Herald. Foi correspondente nos Estados Unidos, e regressou a Sydney para se tornar jornalista de investigação, correspondente político e colunista.

Escreveu, com George Miller, o argumento de Mad Max 2: O Guerreiro da Estrada. Também coproduziu e escreveu Calma de Morte, o filme que lançou a carreira internacional de Nicole Kidman, Mad Max 3: Além da Cúpula do Trovão e inúmeros telefilmes e minisséries, duas das quais receberam nomeações para os Emmy internacionais. No total, recebeu mais de 20 prémios em cinema e televisão.

Em Los Angeles, trabalhou como argumentista em grandes produções de estúdio, como Payback - A Vingança, com Mel Gibson, A Verdadeira História de Jack, o Estripador, com Johnny Depp, e Limite Vertical, com Chris O’Donnell. 

Peregrino é o seu romance de estreia e foi de imediato um bestseller internacional, vendido para mais de 25 países, e vencedor do National Book Award (Reino Unido), o Crimson Scribe Award e o Hebban Crimezone Award. A Topseller lançará o próximo livro do mesmo autor, The Year of the Locust, em 2016.



sábado, outubro 24, 2015

NOS e as mentiras maravilhosas deles..

Boa Tarde Estrelinhas!

Mais uma vez, faço aqui uma publicação que nada tem a ver com livros... mas sim com a INTERNET e os aldrabões da NOS.

É uma tristeza, mas infelizmente é este o mundo em que vivemos... onde incompetentes ganham um ordenado bom possivelmente com umas belas regalias...e trabalhar que é bom? Naa isso faz calos nos dedos.

Eu aderi a wOw no dia 8 de Novembro de 2013, uma Internet móvel, que daria até para 10 equipamentos. Fantástico não era? Como prenda de anos, sim os meus,  aderi a esta Internet. Eu e a minha sogra, visto que era aquelas senhoras que vem vender os serviços a porta.

Eu escolhi a wOw 40Mbps tráfego Ilimitado, visto que tenho dois blogues, que gosto de ouvir musica no Youtube, faço pesquisar para o blog, por norma tenho dois browsers abertos e umas 6 janelas... tudo a trabalhar... problemas de net? LOL Jovem, não sabes do que falas... A minha net era de dar inveja a muitos, acreditem. Falei com muitos amigos para aderirem, que era excelente.... até que.. aparece a NOS e parte a loiça toda.

A 11 de Junho de 2014 a wOw passa a NOS, até aquio nada de mal... mas uns dois meses depois a conversa é outra... de Agosto até Novembro andei quase a chapada com a NOS, eu ligava, dava conhecimento do que se passava, Net muito lenta, por vezes tão lenta que nunca chegava a dar nem para abrir o navegador que dava logo ou "verifique a ligação". Resumindo foram € gastos em chamadas nunca atendidas. Sim porque vocês ligam, sai do gravador para falarem com um assistente... este ainda não vos atende mas a NOS já vos está a chupar o saldozinho  todo do telemóvel.

Até que fiz uma publicação no facebook deles, [eu procurei agora a publicação, mas por favor foi em Novembro do Ano passado... tem noção de que é achar uma agulha num palheiro com esta net não é?]

Mas FINALMENTEEE a situação foi resolvida...















Mas foi Sol de pouca dura, pouco depois os problemas voltaram. Net lenta, segundo os assistentes da NOS problemas na antena. A mesma seria resolvida dentro de 3 meses.... e nada.... fui a loja no forum, perguntei se haveria a possibilidade do meu cartão ou router estarem avariados. Fui atendida por um funcionário tão simpático, mas tão simpático que a minha vontade foi mandar ele voltar ao sitio de onde saio anos atrás.

Nunca irei esquecer as palavras deste funcionário. Você mora no campo, a NOS ficou não só com os cliente que tinha assim como os novos clientes. Neste caso da WOW, é perfeitamente aceitável que a antena da zona esteja sub-carregada dai não conseguir dar uma resposta. Eu fiquei de boca aberta a olhar para a criatura enquanto mentalmente lhe chamava de tudo e mais alguma coisa. Aquela vontade profunda de lhe agarrar a cabeça e cravar com ela no balcão e dizer acorda filho da p@@@. Mas eu respondi-lhe, que isso não era responsabilidade minha, que se na NOS trabalhava gente incompetente o problema é deles. Eu como cliente e os meus 30€ mensais são mais que suficientes para que eles trabalhem e resolvam a situação, juntando aos meus 30€ mais mil clientes...e estou a ser pobrezinha no numero, eles não tem desculpas para não resolver a situação. A Antena esta sub-carregada? Metam outra antena se for preciso. Agora a NOS é que deveria estar preparada para receber mais esses clientes, não é serem sanguessuga do nosso dinheiro e não dares o serviço satisfatório.

Mais tarde voltei a fazer nova publicação no mural da NOS, devido a net lenta...














O certo é que estamos quase em Novembro... 18 para ser precisa... que será quando irá fazer Um Ano, onde o valor de 31,99 voltará as facturas. Ao qual irei pagar e irei continuar com a Internet LENTA!

Para quem não sabe, estou desde as 17:18 da tarde a fazer esta publicação... a net vai abaixo. Não deixa carregar uma imagem... não deixa porcaria nenhuma... chega a ser tão frustrante que por vezes choro de raiva por pagar um serviço que a NOS não está  cumprir!!!

Se eu não pagar, eles processam-me. Se eu desistir eles processam-me... e eu sou obrigada a continuar com eles? Nesta situação? A NOS usa e abusa dos clientes, a NOS faz os clientes de idiotas, de estúpidos. Eu tento ao máximo não me irritar, eu deixo arrastar as situações, como vocês podem ver. UM ANO nesta situação, mas chega! Eu vou fazer queixa deles, porque é um gozo completo o atendimento da NOS.

Ora vejo aqui uma situação.....
















Pois é, uma vez mais voltei a fazer reclamação no mural da NOS, a onde a Sra. Rita diz que irão entrar em contacto.

O certo é que a minha sogra comentou nesta publicação... e eles responderam LOGO, mensagem no facebook, e ligaram a dizer que era problemas.... adivinhem só.... na ANTENA de novo!!! Parem de comprar antenas nos Chineses por amor de Deus! Por favor Srs não fiquem ofendidos, nada contra o vosso material, mas nós sabemos que não é de longa duração. Voltando ao assunto... até a data ninguém me disse nada, provavelmente a situação vai-se arrastar. Mas não por muito tempo, pois como já referi irei apresentar queixa contra a NOS, e vamos ver quem vai rir melhor! Porque para mim chega desta palhaçada!


Agora só me resta procurar uma nova operadora. E que seja APENAS Internet, porque telefone e TV não me interessa para NADA.

Meninas e meninos...digam-me qual a vossa.... Ilimitada? Com WI-FI, muito cara? Muito barata [esta foi piada mesmo]? Contem-me tudo porque eu preciso de uma net nova!

Bem... para já é tudo... agora vou apresentar a minha queixa.

Boas Leituras!

Desenhos Animados.. Ainda te lembras?

Boa Noite Estrelinhas!

Hoje venho com um Post diferente, vamos colocar os livros de parte, pelo menos indirectamente... Quem aqui é que se lembra dos desenhos animados que via na televisão?


Deixem-me que vos diga que eu tenho uma lista... é para mim, ela é FANTÁSTICA. Mas será que aqui, alguém se lembra deles?




Vamos ver....


  • Joaninha
RTP



Encontrei um blog que fala sobre este desenhos animados. Tem muitos e que mal nos recordamos.

Este era o tempo em que dava na televisão Bons Desenhos Animados...


  • Robin Dos Bosques 
TVI





  • Zorro
TVI




  • As Navegantes da Lua
SIC/TVI





E claro... não poderia deixar de ser..... ahhahahahaha AMOOOO e hoje em dia... o meu filho também!


  • Dragon Ball / Dragon Ball Z
SIC /SIC Radical








E Deixo para Ultimo... para mim o melhor [tenho os DVD's, gozem-me a vontade!]

  • D'Artacão e os Três Monscãoteiros
RTP / TVI





Infelizmente falta aqui um filme que eu adorei, mas que não encontro ele aqui na net.
Lembro-me na época em que era miúda tinha um VHS da Sissi. Lembro-me dessa história em como ela tinha ficado orfã, devido a um ataque que a família tinha sofrido. Apenas a Sissi sobreviveu...até que anos mais tarde, ela voltou aparecer e a ser reconhecida como Herdeira....

Sei que na TVI dava uma serie [desenhos animados] de Sissi... que eu sempre odiei a história... mas a minha preferida, eu não encontro nem que a vaca tussa. Se alguém souber qual é o filme que falo e se o encontrar...que me avise. Pois morro de saudades. Eu acho que ainda tenho o VHS, mas achar ele no Sótão.... não é tarefa fácil... e vocês? Quais eram os vossos desenhos animados preferidos? Quais ainda sente a falta? Aquele que vos marcou?

Sete Mares de Johanna Basford [VOGAIS]

Sete Mares
A maravilhosa e deslumbrante caça ao tesouro anti-stress
de Johanna Basford

Edição/reimpressão:2015
Páginas: 80
Editor: Vogais
ISBN: 9789898831194





Johanna Basford, a autora n.º1 mundial de livros de colorir

para adultos, publica pela primeira vez na Vogais.





E é com grande expectativa que os amantes dos livros de colorir têm aguardado por Sete Maresde Johanna Basforda autora n.1 mundial de livros para colorir para adultoscujo lançamento em Portugal será em simultâneo com os principais mercados editoriais fora de portas. Trata-se de um livro com ilustrações belíssimas e detalhadas que levam os leitores a uma viagem deslumbrante pelos oceanos. 

Sete Mares é uma aventura deliciosa pelos oceanos, repleta de ilustrações encantadoras às quais deve dar cor e vida. Há muito por descobrir, desde delicadas tranças de algas marinhas até jardins de coral e magníficos navios naufragados! Ao longo deste livro irá encontrar muitos seres que aguardam pela sua imaginação e criatividade: sereias encantadas, peixes exóticos, caranguejos, polvos e búzios. Não existe aventura sem tesouro, claro: por isso, se pesquisar com cuidado poderá encontrar, espalhados pelas páginas, arcas de tesouros e artefactos preciosos. Sete Mares Inclui um poster destacável.












quinta-feira, outubro 22, 2015

O Primeiro Muçulmano: História de Maomé [ELSINORE]

O Primeiro Muçulmano
A História de Maomé
de Lesley Hazleton
Elsinore
352 pp
19,99€

«Embora sejam muitas vezes magníficas, as lendas que o veneram funcionam porventura como todas as lendas: encobrem mais do que revelam, e Maomé torna-se mais um símbolo do que um ser humano.»

A vida de Maomé teve uma importância histórica quase sem paralelo. E, não obstante o poder que o seu nome evoca, continuamos a desconhecer a história dramática do grande profeta do islão.

Lesley Hazleton corrige, em O Primeiro Muçulmano: A História de Maomé  esse erro. Com base em fontes testemunhais contemporâneas e na História, na política, na religião e na psicologia, dá vida a esta personalidade, em toda a sua complexidade e vitalidade: do anonimato ao reconhecimento, da insignificância ao ícone.

Como acabaria uma criança marginal por revolucionar o mundo? Como conseguiria um mercador desafiar a ordem estabelecida com um novo sentido de justiça social? Como conseguiria um pária transformar o exílio num recomeço triunfante?

O Primeiro Muçulmano
​: A História de Maomé recria um homem que navega entre o idealismo e o pragmatismo, a fé e a política, a não-violência e a violência, a rejeição e a aclamação. Nele se ilumina não apenas uma figura de enormíssimo significado, mas igualmente o seu legado que sobrevive hoje mais do que nunca.

Um homem levado a viver circunstâncias excepcionais que não controlava. Nas palavras da autora, «o homem que correu pelo monte Hira abaixo não tremia de alegria, mas de um medo absoluto, primordial. O que o dominava não era a certeza, mas a dúvida. Só estava certo de uma coisa: o que quer que aquilo fosse, não se destinava a ele».



«Um triunfo. Torna Maomé vívido e imediato.» - The New York Times Book Review

«Muito rico em pormenores e muito bem escrito […]. Hazleton consegue fazer com palavras o que quase nunca podemos fazer com imagens […]. Indispensável.» - The Seattle Times

«Uma biografia audaciosa e humana […]. Uma narrativa elegante que se dirige a leitores de mente aberta […], um quadro vivo da vida árabe no início do século VII.» - Ha’aretz



Maomé disse: “Sou o primeiro dos muçulmanos.”
Alcorão 6:14; 6:163; 39:12


SOBRE LESLEY HAZLETON

Nascida em Inglaterra em 1945, formou-se em psicologia, mas cedo a abandonou para se dedicar ao jornalismo. Foi repórter em Jerusalém e dedicou-se à atualidade do Médio Oriente durante mais de uma década. O seu trabalhou figurou em publicações tão prestigiadas quanto a Time, o New York Times, a New York Review of Books e a Harper’s.

O seu mais recente livro, After the Prophet: The Epic Story of the Shia-Sunni Split in Islam, foi finalista do PEN-USA Book Award. Vive em Seattle, Estados Unidos, e publica regularmente no blogue The Accidental Theologist.

quarta-feira, outubro 21, 2015

Parcerias.... Rejições - Dizer a verdade... ou mentir para ficarem felizes?

Boa Tarde Estrelinhas!

Hoje irei fazer uma publicação muito impertinente, irá ofender alguns... e ferir susceptibilidades dos inocentes que não estão nestas andanças.

Pois bem....

Hoje em dia, é mais do que comum haver um blog literário, todo bonitinho, todo XPTO com montes de parcerias... Mas em que consiste essas parcerias?

Bem, no meu caso é bem simples... a Editora manda-me as novidades, ANTES de estar já estarem em sites de venda de livros. [WOOK, FNAC, BERTRAND]. Vão publicar um livro do autor X pela primeira vez em Portugal.... Então a editora avisa-me a mim, blogger, que vão editar o livro da Escritora Dona Florzinha Maria  Hortência, com o Titulo A Lua Sorriu para o Canário Cor-de-Rosa, pertence a serie XYG. O que por ventura, acontece nós blogger pedirmos esse Livrinho, para passatempo e uma vez ou outra a oferta desse livrinho para leitura e opinião no blog.....

Realidade, muitas das vezes não recebemos NENHUMA informação sobre esses ditos livros que são novidades e que por ai vem. Hoje em dia as editoras [algumas] parece que preferem trabalhar sozinhas..... ou com aldrabões.

Vejamos...


  1. Blogger pede pelo menos 2 livros a cada editora que tem parceria..... vamos aqui fazer contas [como algumas que eu vejo por aqui].... Editora X.... 2 livros, Editora Y... 1 livro, Editora G... 2 livros e EditoraW... 2 livros. 
  2. Num espaço de uma semanas, se tanto, já leram  7 livros, um livro por dia.... livros que podem até conter 800 Paginas...
  3. Num dia fazem as 7 Opiniões/Criticas.
  4. Ficamos a saber que pelo menos 2 dessas opiniões, total ou parcialmente são IGUAIS as opiniões noutros blogs
  5. Muitos duvido que cheguem a ler os livros, porque vá la, TODOS nós temos um determinado género literário que ADORAMOS e outro determinado género literário que queremos DISTANCIA. Eu por exemplo? Adoro fantasia, romances e alguns Eróticos.... mas só alguns. Não suporto sequer ter em mãos um livro de factos reais...  Biografias, por exemplo Queimada viva, ou ler livros de Poesia, ou ler um Policial  e Thriller. E se isso aparecesse no meu blog, seria no mínimo estranho.... a não ser que eu esteja a gerir o meu blog com mais alguém... o que por vezes não é o caso.
  6. A maioria rege-se pelo Plagio, leram...ou fazem de conta que leram, procuram opiniões e elaboram uma a pressa, quando na verdade nem sequer leram o porra do livro. 
As Parcerias....

Quantas vezes quem tem um blog, não pediu uma parceria? E nunca recebeu uma resposta? Ou ja recebeu a resposta... positiva por sinal, vocês dizem como pretendem trabalhar, a editora diz OK e no fim? Ela nem pastar vos manda...

Já pedi parcerias a muitas editoras... algumas aceitaram...outras nem me responderam.

Hoje em dia as editoras [a maioria] quer que digam coisas BOAS sobre elas, sobre os livros que editam... Acho que é por isso que a Planeta, Saída de Emergência, Grupo Leya não me ligam nenhuma *beicinho*

Ja notei que blog mais recentes que o Livro nas Estrelas, tem parceria com a Planeta, confesso que sempre foi uma das minhas editoras preferidas, pois é a que mais lança o género de livros que eu tanto gosto de ler... o defeito? E por vezes cancelar as edições quando falta um livro para terminar uma serie, é mau... muito mau, e aqui entre nós? Após tanto tempo de desprezo da parte deles para a minha pessoa. Eu ainda tentei uma vez mais uma parceria.... mas nem plantar batatas me mandaram. É pena pessoal, poderíamos ter aqui passatempos MUITO interessantes.

Recentemente tentei parceria com a Saída de Emergência, a principio tudo OK, conversa daqui e dali, nada demais. Pequenas perguntas por parte da responsável da SdE, e depois claro... a minha parte. Em que menciono que opiniões tem de ser verdadeiras, as opiniões não vai só aos erros de autor... mas abrange os erros da editora, desde capa, a tamanho de letra como más traduções..... isso tudo seria incluído na MINHA opinião..... Lamento informar, uns 4 meses depois nunca mais ouvi falar da raça desta editora.... acho que fiz mais um inimigo. *choro*

E vamos falar então do grupo Leya.... não sei ao certo o que aconteceu, apenas sei que tinha parceria com a Quinta-Essência, ASA, Casa das Letras, 1001 Mundos, e por ai adiante. Deixei de receber as novidades por parte da dona Rita, o que começou na época a irritar-me, nada de novidades no email, nada de resposta para passatempos, nada de resposta para oferta de livros. Até que uma vez ou outra, uma outra senhora do Grupo Leya, respondia me e mandava as novidades e tudo mais... que era dos poucos passatempos que tivemos aqui, assim como dos parcas ofertas que tive. O certo é que, hoje em dia, apesar de ter mandado mais de 5 emails a Casa das Letras, Asa, Leya, e até ao Papa Francisco, apenas o Papa me respondeu. Mas eu deduzo o que tenha sido isto... uma opinião de dois livros que eu fiz aqui.... a tradução estava UM NOJO, e a revisão passou a anos luz daquele pobre livro. 

Tentei parceria também com a Individual, desconhecia esta editora...mas até a data não me reponderam.... 


Sim... as editoras não suportam ler a verdade quando cometem erros. Elas [editoras] oferecem-nos um livro e nós blogger que nos damos ao respeito e trabalhamos para... dizemos a verdade do que o livro é, do que achamos... e se até o maldito titulo não tem NADA  a ver com a porra da história, não esperem palmadinhas, ou como editarem de novo o mesmo livro e usarem titulos e capas diferentes.... tão mas andamos a gozar com o leitor? 

Pois é isto que as editoras não gostam, o que as editoras GOSTAM é que blogger plagiem opiniões que vendam os livros que elas enviam como OFERTA. As editoras gostam que as façam de parvas, e que de facto é o que mais se vê ai. 

E nós? Que lemos um livro numa semana, quando é possivel, pois temos vida. trabalho, cozinhar, tratar dos filhos, tratar da casa, cuidar dos animais. actualizar o blog, responder a emails...ainda temos de ler um pouquinho. Ahhhh Nádia mas há bloggers que tambem tem vida e fazem bueeee... really? Quem é que diz que estuda, trabalha, tem teses, que casa para cuidar, tem reuniões e montes de tretas e apresentações para fazer, pode ter tempo para ler um livro por dia e fazer a opinião? As editoras que não acordem para a vida não...

E antes que digam, ah é inveja e tal, nop, não é. É a realidade, de bloggers que tenta parcerias JUSTAS e HONESTAS e que levam com os pés, quando aldrabões e plagiadores vem aqui e fazem a macacada toda! 

Não é por não ter parceria, com a SdE, Planeta, Leya, Porto Editora 5 Sentidos, Individual, entre outras, que eu vou deixar de ler... nada disso eu leio na mesma, e faço as minhas opiniões na mesma, é so que não tenho as novidades a tempo e horas e passatempos para vocês não existe...simples assim.

Outra coisa descabida que eu ja mencionei anteriormente noutro post algures por aqui é as traduções, e essas estão cada vez pior, há tradutores que deviam de ir apanhar batatas, porque traduzir não é com eles...o mesmo se aplica aos revisores.... acho que andam a fazer horas extras e nao velhas estas falhas...pela minha santa paciência.....

Não irei me alongar muito neste assunto. Deixo-vos dois links da Liliana, blogger do Vamos Doar livros A nossa Biblioteca?  Post 1 e Post 2


Eu e a Liliana,  iremos as duas fazer uma rubrica, andamos a organizar as ideias, a juntar BONS e Horríveis.... depois entenderão o que quero dizer. E contamos depois com vocês para uma mãozinha...


terça-feira, outubro 20, 2015

Novidades TOPSELLER a não perder!

Boa Tarde Estrelinhas!

E quem é que aqui não vibra com as novidades da TOPSELLER? Eu fico maluca e resmungo com os meus botões.... como podem eles? Só delicias!

Vamos lá espreitar então!



Chegam às livrarias, dia 26 deste mês, três novidades da Topseller. Vidas Roubadas de Mary KubicaEu, o Earl e a Tal Miúda, de Jesse Andrews e Seduzo-te de J. Kenner

Depois da estreia energética de Não Digas Nada, Mary Kubica, um dos novos talentos mundiais dentro do género, regressa com Vidas Roubadas. Um thriller que arrancou rasgados elogios dos principais meios de comunicação estrangeiros.

Tão tocante quanto divertido, Eu, o Earl e a Tal Miúda (Me and Earl and the Dying Girl) serviu de inspiração ao filme realizado pelo espanhol Alfonso Gómez-Rejón, aplaudido pela crítica e premiado no reconhecido Festival de Cinema de Sundance: prémios do Público e do Grande Júri para melhor filme dramático.

J. Kenner, um dos nomes maiores da literatura erótica mundial, regressa às livrarias nacionais com um novo e escaldante romance, o 2.º volume da série Most Wanted.


336 pp 
18,79€ 
Saída a 26 de outubro

Numa manhã fustigada pelo mau tempo, Heidi Wood vê numa estação de comboios uma adolescente com um
bebé ao colo. A partir desse momento, essa imagem não lhe sai da cabeça.
Quando, dias mais tarde, volta a encontrar a rapariga com a bebé, Heidi decide ajudá-las e leva-as para sua
casa. Chris, o marido de Heidi, assim como a filha, Zoe, opõem-se em absoluto à ideia de esta jovem, que diz
chamar-se Willow, ficar em sua casa, temendo que ela possa ser uma criminosa. No entanto, Heidi não lhes dá
ouvidos e, à medida que o tempo passa, sente que não pode abandonar a rapariga, e acima de tudo a sua
bebé, por quem nutre um sentimento maternal fora do comum.
Entretanto, começam a aparecer pistas sobre o passado de Willow que farão com que a história ganhe
contornos perturbadores. Que segredos guardará esta rapariga cujo passado esconde a todo o custo?



304 pp
16,59€ 
Saída a 26 de outubro



Esta é a história criativa e comovente de Greg, um finalista do secundário cujo único objetivo é manter-se completamente

anónimo e evitar quaisquer relações profundas.Para ele, essa é a melhor estratégia de sobrevivência no verdadeiro campo
de minas social que é a vida de um adolescente. Juntamente com Earl, Greg faz curtas-metragens parodiando filmes
clássicos, o que os torna mais colegas de trabalho do que propriamente amigos.
Tudo corria bem até ao dia em que a mãe de Greg insiste com ele para passar algum tempo com Rachel, uma miúda da sua
turma que acabou de ser diagnosticada com cancro. Lentamente, Greg descobre que um pouco de amizade não faz mal a
ninguém.
Tão tocante quanto divertido, o livro de estreia de Jesse Andrews inspirou o filme aplaudido pela crítica e duplamente
premiado no prestigiado Festival de Cinema de Sundance 2015. Uma história capaz de partir o coração sem roubar uma só
gargalhada.



de J. Kenner

Edição/reimpressão:2015
Páginas: 336
Editor: TopSeller
ISBN: 9789898800619
Coleção: Most Wanted

Vai beijar-me, pensei. A minha mente estava num turbilhão, dividida entre a excitação e a surpresa. Ele era uma ferramenta, um suspeito, um criminoso. Ainda assim, eu desejava aquilo. Desejava muito aquele homem. Raios, desejava-o com todas as minhas forças.
Sloane Watson é uma brilhante agente policial e está decidida a encontrar a sua amiga Amy, misteriosamente desaparecida. Para chegar à verdade, Sloane tem um plano aparentemente inabalável: seduzir o poderoso Tyler Sharp, dono do Destiny, o requintado e exótico clube onde Amy trabalhava como bailarina, e onde foi vista pela última vez.
No entanto, no momento em que Sloane e Tyler cruzam os olhares, a atração entre ambos torna-se inebriante. Aquilo que deveria ser uma investigação policial dá lugar a um escaldante e perigoso jogo de sedução, no qual nenhum dos dois alguma vez pensou entrar. Mas será que ainda é possível voltar atrás e mudar as regras?